14 Janeiro 2021
0
0
0
s2sdefault
 
ferias tucano alvarofleury chacri wiki
Tucanos costumam ser vistos em parques naturais do Rio, sem grande movimento de gente. Foto: Álvaro Fleury, cc, Wikimedia Commons

Verão! Tempo de férias e de dias mais longos, quentes e ensolarados, que nos convidam a relaxar, à vida ao ar livre e ao lazer! Mas é possível se divertir de forma segura, neste início de 2021, que chegou com uma explosão de novos casos de Covid-19? É sim, desde que mantidos os três principais pilares de proteção: higienização das mãos, distanciamento e uso de máscara! Não abra mão de nenhum deles, porque a Covid-19 já matou mais de 205 mil pessoas no Brasil e não vale à pena se arriscar a contraí-la. Há opções de lazer em lugares que garantem o distanciamento de pelo menos dois metros de outra pessoa, além de múltiplas atividades prazerosas que podem ser feitas em casa.

Não é possível ter férias divertidas no hospital nem quando se está doente. Então, a primeira regra para um verão relaxante, em 2021, é não seguir o exemplo de quem se aglomerou no fim de ano e contribuiu, substancialmente, para aumentar a lista de infectados e mortos por Covid-19. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS), entre 1º e 11 de janeiro, foram registrados 174.347 novos casos da doença e 15.333 óbitos. Portanto, corte da sua lista de lazer idas a praias, bares e lugares onde não haja garantias de que poderá manter um distanciamento seguro das pessoas.

A carga viral à qual nos expomos, segundo as pesquisas científicas, é determinante para o desenvolvimento da infecção promovida pelo coronavírus. Quanto mais tempo junto a aglomerações, maior é a possibilidade de contrair uma carga viral alta e de desenvolver a doença em estado grave ou moderado, em que a pessoa não precisa ir ao hospital, mas fica em casa na cama, com inúmeros incômodos físicos como forte prostração, dores musculares por todo o corpo, dor de cabeça e confusão mental, entre outros sintomas possíveis. Além disso, com o passar do tempo, médicos estão descobrindo que um número muito expressivo de pessoas que contraíram Covid-19, inclusive em estado moderado, permanece com sequelas, sem ainda saberem se esse quadro um dia será revertido.  

Mesmo com o início da vacinação, todos devem continuar com os cuidados para evitar a contaminação. Isso inclui as pessoas vacinadas, pois, mesmo estando imunizadas, ainda podem ainda ser fonte de infecção. Ao buscar formas de lazer e diversão, lembre-se que a pandemia não acabou e que todos devem se proteger pelo bem coletivo e de si mesmo. Não se arrisque! Confira, nas edições de 13 e 14 de janeiro do Diário Oficial do Município [https://doweb.rio.rj.gov.br/], as resoluções que o Município e o Estado do Rio adotaram, de forma conjunta, para conter a Covid-19. Divirta-se de forma segura!

Fora de casa

ferias interno
O sombreado Parque Municipal Bosque da Barra. Foto Edson S. Moreira, cc, Wikimedia Commons

O Rio de Janeiro é uma cidade agraciada pela natureza e por uma estrutura de parques ao ar livre. Vários deles são extensos o suficiente para garantir o distanciamento e ainda oferecem várias possibilidades de lazer, como trilhas, ciclovias, parquinho para a criançada, recantos bucólicos, mesas para piquenique e outras coisas mais. Abaixo, algumas dicas – todas gratuitas! Mas, devido à pandemia, antes de visitar os parques, ligue para saber se não há alteração no horário de funcionamento ou restrições sanitárias.  

Parque Municipal Bosque da Barra. Vale à pena fazer uma caminhada por suas alamedas arborizadas e observar os animais que ali moram, como capivaras, saguis, pássaros, bichos preguiça e até mesmo jacarés imersos nas águas do lago ou tomando banho de sol às suas margens. O Bosque tem pista para correr e andar de bicicleta (pode-se alugar uma no local). Funcionamento: de terça a domingo das 8h às 17h. Endereço: Avenida das Américas, 6000 – Barra da Tijuca. Telefone: 3151-3428.

Parque Estadual do Grajaú. Tem acesso para cadeirantes, parquinho para a criançada, equipamentos básicos para ginástica,  anfiteatro, áreas de piquenique, mesas isoladas, bebedouros e uma série de grutas, trilhas e vias de escalada. O uso de máscara é obrigatório e só entra quem levar álcool 70% para consumo da família. O Parque não permite que grupos diferentes compartilhem mesas, nem que estendam cangas e toalhas a menos de três metros do outro. Funcionamento: diariamente, das 8h às 17h. Endereço: Rua Comendador Martinelli, 742 - Grajaú. Telefone: 2576-4296.

Parque Natural de Marapendi. Resguarda os ecossistemas nativos de restinga e de manguezal em cerca de 155 hectares de paisagens naturais. O parque conta com pequenas trilhas, torre de observação, parquinho para crianças e banheiro, além de estacionamento gratuito. Funcionamento: terça a domingo das 8h às 17h. Endereço: Avenida Alfredo Baltazar da Silveira, 635 – Recreio dos Bandeirantes. Telefone: 2497-7088.

Parque Lage. É um recanto bucólico, aos pés do Cristo Redentor, onde se pode fazer caminhadas e curtir a natureza. O parquinho e os espaços para piqueniques estão fechados, no momento. Mas você pode levar alguns brinquedos de casa, como bola e panelinhas, para incrementar o lazer das crianças. Funcionamento: diariamente das 9h à 17h. Endereço: Rua Jardim Botânico, 414 – Jardim Botânico.

Parque Chico Mendes.  Tem 40 hectares de área, quase cinco quilômetros de trilhas, parquinho para crianças e espaço para educação ambiental. É possível observar jabutis, macacos e aves, durante a caminhada. O parque também tem uma área onde monitora jacarés e oferece estacionamento gratuito para os visitantes. Funcionamento: de terça a domingo das 8h às 13h. Endereço: Avenida Jarbas de Carvalho, 679 – Recreio dos Bandeirantes. Telefone: 2437-6400.

Orla Conde. É um passeio público localizado na Zona Portuária, à margem da Baía de Guanabara, com 3,5km de extensão, que liga o Armazém 8 do Cais do Porto à Praça da Misericórdia, no Castelo. Uma caminhada pela orla, entre a Praça Mauá e a altura da Av. Presidente Vargas, permite contemplar a cidade e a baía por um novo ângulo, já que ônibus e automóveis não passam por lá.

ferias aterro alicenijdam cc wiki
Vista aéra do Aterro do Flamengo, maior área de lazer da cidade. Foto Alicia Nidjam, cc, Wikimedia Commons

Aterro do Flamengo. Com 1.200.000 m², é a maior área de lazer da cidade. Possui vários playgrounds ao longo do parque e gramado suficiente para fazer piquenique, correr e brincar com distanciamento seguro. A partir do dia 17 de janeiro, as duas pistas para automóveis voltam a fechar aos domingos, tornando-se um ótimo espaço para andar de patins, bicicleta, velocípede, skate e patinete.

Parque Estadual da Chacrinha. Estende-se ao longo da Ladeira do Leme, desde a Praça Cardeal Arcoverde até o antigo pórtico de uma fortaleza construída no início do século XVIII. Possui playground para crianças, bancos para descanso e áreas de contemplação, de onde pode-se observar os caminhos das mulas utilizadas para transporte de alimentos e água no Brasil Colônia e as ruínas da casa mais antiga de Copacabana e do aqueduto da antiga Vila Militar da Babilônia, onde Tiradentes serviu. Funcionamento: De terça a domingo das 8h às 17h. Endereço: Rua Guimarães Natal, s/n - Copacabana. Telefone: 2542-3247.

Dentro de casa

Férias na pandemia são distintas das demais. Seja criativo,  saia do lugar comum e promova um gostinho especial para as brincadeiras da criançada, propondo novos desafios e encontrando meios para transformar as atividades em uma festa! Veja a lista que a MultiRio preparou para que você e a meninada se divertirem em casa!

ferias jogos wiki
Jogos de tabuleiro divertem jovens, adultos e crianças. Foto Matêj Ba'tha, cc, Wikimedia Commons

Jogos de tabuleiro. Antigamente, era uma verdadeira festa quando a família se reunia para jogar cartas, dama, gamão, dominó e outros jogos! Organize campeonatos com os adultos e a criançada da casa! Além de serem divertidos, os jogos de tabuleiro contribuem para a socialização da família e o desenvolvimento de habilidades! Se incluir petisquinhos, sucos e refrescos,  as partidas ganham um tom ainda mais prazeroso!

Brincadeiras de salão. Eram elas que divertiam a Corte em seus encontros mais corriqueiros. Englobam brincadeiras de mímica, memorizão, adivinhação, repetição e inclusão de palavras. Muitas famílias costumam ter vários desses passatempos em seu repertório! Eis quatro deles:
   > Mímica. Determine um tema. Pode ser nome de filme, de música,  de livros infantis, de desenhos animados, ou qualquer outra coisa. Defina o número de rodadas da brincadeira e sorteie quem vai ser a primeira pessoa a fazer uma mímica, a partir do tema escolhido. Digamos que foi definido ‘filmes infantis’ e que o mímico, sem ninguém saber, escolheu fazer uma pantomima da ‘Branca de Neve e os Sete Anões’. Quem acertar primeiro o nome certo do filme, ganha um ponto (assim como o mímico) e será a próxima pessoa a fazer a imitação. Vence quem tiver a pontuação mais alta ao fim das rodadas.
   > Adivinhação. Estipule um número de rodadas da brincadeira e sorteie a ordem dos participantes. Corte uma folha de papel em branco em vários pedaços  e escolha um tema para ser adivinhado. Se foi “cores”, por exemplo, o participante da posição dois escreve o nome de uma cor em um dos pedaços de papel e o cola na testa do participante da posição um, sem que ele veja o que está escrito, porque terá que adivinhar a cor, fazendo uma pergunta para cada participante, respeitando a ordem do sorteio. Se não adivinhar até o fim da rodada, não pontuará. As regras podem variar, como permitir duas perguntas a cada participante. Observe que o primeiro da fila é quem colará a folha de papel na testa do último.
  > Chicotinho queimado. Determine o número de rodadas da brincadeira e sorteie quem vai ser o comandante, ou seja, aquele  que vai esconder um pequeno objeto, após todos saírem do recinto. Feito isso, ele chama as pessoas para procurarem. Conforme a distância do objeto escondido, o comandante diz: "Gelado! Frio! Morno! Quente! Fervendo”. Quem encontrá-lo passa a comandar a brincadeira. Vence quem tiver sido comandante mais vezes, ao fim das rodadas.
  > Desafio de palavras. Forme uma roda e defina quem vai iniciar a brincadeira. Este começa falando uma palavra. O participante seguinte fala outra, de maneira que ela dê gancho para formar uma frase. Por exemplo: Participante um: O rato (artigos definidos e indefinidos não contam como palavra). Dois: roeu. Três: a maçã... A roda vai girando até alguém não consiguir dar continuidade à frase, ou falar uma palavra que não faça sentido. A brincadeira continua com o participante dois iniciando uma nova frase, com uma palavra.

Vendo e fazendo lives.  Além de jogos e desenhos animados na internet, há outras atividades online que podem entreter as crianças. Fique atento às lives voltadas para elas. O grupo Tapetes Contadores de Histórias tem feito contações de histórias no Instagram do Centro Cultural Laurina Santos Lobo (@laurindasantoslobo ), às 11h dos sábados e domingos.  Em seu canal no Youtube, a Faber-Castell está realizando – até 29 de janeiro, de segunda à sexta, às 16h, – oficinas ao vivo que reúnem brincadeiras, aventuras, curiosidades e muita mão na massa!  Além disso, você mesmo pode promover uma atividade. Que tal fazer uma live com as crianças e seus amiguinhos? Invente um formato, como um programa de entrevistas. Você ou alguma criança pode ser o entrevistador. Prepare perguntas simples, que estimulem o raciocínio e as habilidades de expressão delas, como: Qual sua brincadeira predileta? O que faz você gostar tanto dela?

Refrescando. Verão tropical chama brincadeiras com água! Permita que as crianças brinquem de dar banho nas bonecas e nos bonecos, nos carrinhos, nos bichinhos de borracha! Se morar em casa, promova um banho de mangueira! Mas atenção! Ligue e desligue a torneira para não desperdiçar água! Em dezembro, a bandeira da conta de luz estava vermelha e, no Rio de Janeiro, a água que gera energia e que abastece a cidade vem dos mesmos reservatórios e da mesma fonte: o rio Paraíba do Sul, que está assoreado e precisando de revitalização!

ferias livros
Livros, opção para todas as idades. Wikimedia Commons

Leitura. Ler é sempre uma excelente atividade! Diverte e instrui! Se não tiver livros em casa, vá a uma biblioteca pública e selecione alguns que sejam adequados à faixa etária das crianças. A leitura, além de individual, pode ser coletiva. Conte, em voz alta, as histórias dos livros, caprichando na interpretação. Incentive a meninada a fazer o mesmo! Além de se divertirem, estarão desenvolvendo habilidades expressivas e de comunicação!

Confira também, aqui no Portal MultiRio, as várias opções de animação, jogos e muitas outras atividades feitas para as diferentes faixas etárias (entre 3 e 15 anos).

Boas férias! Lembre-se sempre das regras de ouro: distanciamento social, uso de máscara e mãos sempre higienizadas!

 

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes