15 Setembro 2017
0
0
0
s2sdefault
 

A cerimônia de encerramento da 29ª edição do Festival da Canção das Escolas Municipais (Fecem) acontece na tarde da próxima quarta-feira, dia 20 de setembro, no Centro Cultural João Nogueira – Imperator, no Méier. Com o tema Brasil dos Festivais: de Vinicius de Moraes a Geraldo Vandré, a homenageada deste ano é a cantora Nara Leão. O evento também conta com a participação da cantora Roberta Espinosa.

Na ocasião, 11 grupos musicais representarão cada Coordenadoria Regional de Educação (CRE), apresentando uma obra autoral. Ao término das apresentações, uma comissão julgadora formada por membros da Secretaria Municipal de Educação (SME-Rio) e técnicos da área musical irá eleger a canção que representará o Fecem 2017. Até o momento do anúncio, a plateia assistirá ao show da cantora Roberta Espinosa, cujo repertório inclui canções de Nara Leão e outros grandes nomes da música popular brasileira.

O trabalho de criação e preparação para o Fecem nas escolas

O Fecem acontece em três etapas. Primeiramente, cada escola seleciona uma canção e a inscreve em sua Coordenadoria Regional de Educação (CRE). Então, por meio de competições regionais, são eleitos os representantes de cada CRE.

A E.M. Rodrigo Otávio, na Ilha do Governador, representa a 11ª CRE com a canção Mais um dia se passou. Segundo a professora de Educação Musical da unidade, Márcia Guapyassú, o processo de criação das canções para o Fecem – cada escola pode inscrever até quatro obras no Festival – é uma extensão do trabalho em sala de aula, com alunos do 8º e 9º anos.

“Criar uma composição musical sem muitos recursos teóricos é mais difícil. Então, fazemos o trabalho de maneira intuitiva. Primeiro, os alunos escrevem composições poéticas de temas variados. Então, canalizamos no tema do Fecem, que neste ano destaca a bossa nova, e fazemos levantamentos sobre o assunto. A etapa da criação melódica é intuitiva. Pergunto se os alunos sabem como cantar o poema que escreveram. Aos que têm mais dificuldade, auxilio com uma base harmônica, com violão ou teclado, e peço que cantarolem. Depois disso, cada grupo grava suas composições e eu avalio, pensando em um arranjo. Por fim, ajustamos a tonalidade e pergunto quem tem interesse em participar do Festival”, explica a professora, que também tem formação em Língua Portuguesa.

Há três anos, uma banda foi formada na escola pelo professor de Inglês Pedro Luna, que trabalha em parceria com Márcia. No contraturno, Pedro ensaia com os alunos que irão se apresentar.

A 11ª CRE vai se apresentar com bateria, contrabaixo, violão elétrico, teclado e um casal nos vocais. Na escola, o otimismo é grande. “A expectativa é ganhar, sempre! Mas só em ver o crescimento dos alunos, posso dizer que já somos vitoriosos. O Fecem é uma motivação para despertar o talento dos alunos.”

A E.M. Telêmaco Gonçalves Maia, na Pavuna, que venceu a etapa regional do Fecem no último ano, representa novamente a 6ª CRE, com a canção Preconceito. O trabalho visando o Fecem se deu por meio do coral da escola, que ensaia no contraturno, momento em que foi sugerido aos alunos a criação de uma música. O aluno André Henrique Rosa, do 7º ano, escreveu a composição, aperfeiçoada posteriormente com o apoio do professor de Educação Musical, Paulo Santos. “A partir da letra criada por ele, trabalhamos as partes da música – a, b, refrão –, estruturamos a melodia e criei um arranjo. Pensamos em algo não tão rebuscado, mas com um ritmo legal”, explica o professor, que, em seguida, buscou alunos que cantassem e/ou tocassem instrumentos.

“Soube de uma aluna que gostava de cantar e pedi que ela fosse ao coral. Fiquei encantado com a voz dela! Linda, afinada, dicção perfeita. Também descobri uma menina que toca violão, com uma musicalidade acima da média, a quem ensinei o contrabaixo.”

Na opinião do professor, o festival possibilita que se trabalhe a criatividade, a socialização e a autoestima dos estudantes e é, ainda, uma oportunidade de valorizar composições autorais. “O rapaz que escreveu uma música para um festival, ainda que não vença, vê a possibilidade de escrever outras coisas, poesias, por exemplo. Enquanto músico brasileiro é também uma oportunidade de resgatar o trabalho da composição. Hoje em dia, as pessoas compõem pensando no lado financeiro, na mídia, em ‘bombar’ na internet com músicas de três vocábulos. O Fecem estimula o aluno a pensar e criar letras que levem, de alguma forma, uma contribuição para sociedade.”

Confira as canções que irão representar cada CRE:

Tabela FECEM
O Festival

O Festival da Canção das Escolas Municipais do Rio de Janeiro foi realizado pela primeira vez em 1989, no Teatro Odylo Costa Filho (Uerj). A edição aconteceu nos moldes dos grandes festivais da MPB, com duas semifinais e uma final.

A iniciativa anual da Secretaria Municipal de Educação tem como objetivo valorizar e divulgar o universo musical brasileiro, estimulando a criatividade, o senso crítico e o espírito de participação dos alunos da Rede. Com o Fecem, os alunos vivenciam todas as etapas de um processo de produção artística, desde a criação da canção até sua apresentação para o público, passando pelas fases de ensaio, produção de arranjos, preparação vocal e instrumental, dinâmica de palco e elaboração de figurino.

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes