Da série
Bairros Cariocas
03 Abril 2013
0
0
0
s2sdefault
 

Imperio Serrano_1O Grêmio Recreativo e Escola de Samba Império Serrano foi fundado em 1947, mas sua história começa bem antes. Data de 1926, quando a Prazer da Serrinha foi criada como uma continuação do bloco carnavalesco Cabelo da Mana. Seu fundador, Alfredo Costa, guarda-freios da Central do Brasil, mestre-sala, jongueiro e pai de santo, ganhou projeção em 1939, quando foi eleito Cidadão do Samba do Rio de Janeiro, em votação popular promovida pelo jornal A Rua, repetindo o feito de sua esposa, dona Aracy, também jongueira, eleita Rainha do Samba pelo mesmo jornal, dois anos antes.

Embora fosse figura respeitada, Alfredo Costa, que era sogro de Dona Ivone Lara, mandava e desmandava na Prazer da Serrinha, segundo os relatos. O descontentamento da comunidade com seu estilo de presidir a escola vinha de longa data, mas o racha que culminou com a criação do Império Serrano só ocorreu em 1946. No carnaval desse ano, no momento em que a escola ia iniciar seu desfile na Praça 11 de Junho, ele proibiu que se cantasse o samba eleito e ensaiado pela comunidade, Conferência de São Francisco, da dupla de sambistas Silas de Oliveira e Mano Décio. O samba havia sido feito para contar um enredo, o que era uma verdadeira novidade na época.

A mudança de samba provocou problemas na harmonia da Prazer da Serrinha, que acabou amargando o 11º lugar. O descontentamento com o fato acabou por levar Mano Décio, Silas de Oliveira, Sebastião de Oliveira (Molequinho) e muitos outros a fundarem o Império Serrano, que nasceu com o objetivo de inovar a gestão – a comunidade teria voz – e a forma do desfile – agora calcado em um enredo. A proposta da nova escola arrebatou os jurados do carnaval carioca. Em seu primeiro desfile, em 1948, sagrou-se campeã, assim como nos três anos subsequentes: 1949, 1950 e 1951.

DONAIVONELARAAlém da inovação na forma de desfilar, o Império Serrano foi a primeira escola de samba a ter uma mulher em sua ala de compositores: Dona Ivone Lara, autora do samba-enredo Os Cinco Bailes da História do Rio, em parceria com Silas de Oliveira e Bacalhau, composta para o carnaval de 1965. A vida e a obra da compositora é retratada em um dos episódios da série Pequenos Notáveis, produzida pela MultiRio.

O Império Serrano tem, hoje, nove títulos do grupo especial e três do grupo de acesso. Sua ala de compositores é uma das mais respeitadas. Tem, em sua história, nomes como Silas de Oliveira, Mano Décio, Aniceto do Império, Molequinho, Dona Ivone Lara, Aluísio Machado, Beto Sem Braço, Jorginho do Império e Arlindo Cruz, entre outros. Sua história é repleta de sambas que viraram clássicos do carnaval, como Bumbum Paticumbum Prugurundum, de 1982. Sua bateria, chamada de Sinfônica do Samba, tem como característica principal o toque dos agogôs. Sua quadra se localiza na Avenida Ministro Edgard Romero, 114.

 

Créditos das fotografias:

Foto 1 - Império Serrano (1959).
Autor: José Gomes / Última Hora.
Fonte: Arquivo Público da Cidade de São Paulo.

Foto 2 - Dona Ivone Lara.
Autor: divulgação.

Voltar à matéria principal

 

Veja também:
Mídias Relacionadas
Bairros Cariocas
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes